Paróquia São Francisco de Assis

Rua Raposo Tavares, 180, Vila Assis - Sorocaba, SP

(15) 3231 3100

Artigos › 06/04/2020

SEMANA SANTA: O ISOLAMENTO E AS OPORTUNIDADES CONCEDIDAS

Vivemos uma quaresma diferente, a começar por nossas rotinas diárias que tem sofrido grandes mudanças: tarefas, compromissos e demais atividades que vivenciávamos anteriormente, já não podem mais ser realizadas. Nossa privação chega ao âmbito religioso, com a impossibilidade de participação da Santa Missa, além dos encontros, grupos e movimentos que antes participávamos e encontram-se por hora, paralisados. Tudo isso como forma de contribuirmos como Cristãos, com empatia ao nosso próximo, e compreensão as recomendações dos Órgãos de Saúde.

Uma quaresma diferente, não só pelos impedimentos sofridos, mas principalmente pelas oportunidades, pelos acontecimentos bons, pela possibilidade de reflexão e pelas belas mensagens que batem à nossa porta, mas que pelos ruídos causados pelo mundo, nós deixamos de escutar. Um bom exemplo destes bons acontecimentos aos quais me refiro, é a benção Urbi et Orbi que significa “Para a cidade de Roma e para o Mundo”, esta benção normalmente é dada pelo Papa em apenas três ocasiões (na eleição de um novo Papa, e anualmente no dia de Natal e no dia de Pascoa), mas que neste ano foi dada no ultimo dia 27/mar – concedendo indulgencia plenária, ou seja, a remissão das penas dos pecados já confessados e perdoados, a todos aqueles que acompanharam a referida benção. Um momento histórico, não só por vermos a Praça de São Pedro vazia, mas muito mais, por através deste momento, percebermos o compadecimento de Deus para com nosso sofrimento, solidão e angustia.

É neste sentido que o Padre Roger Araújo, em entrevista ao portal da Canção Nova, ressalta a importância de olharmos as oportunidades e as mensagens que o momento vivido nos transmite. Disse ele: “A graça de Deus pode transformar tragédias, desgraças em graça” – e complementa – “Talvez alguns pensem que seja o juízo final, outros ainda o apocalipse ou qualquer outra coisa nesse sentido. Não. Como diz o Papa Francisco, ‘é tempo do nosso juízo’. Não é o tempo do juízo de Deus. É um tempo que nós temos para ter mais juízo, sobriedade, serenidade. É um tempo, inclusive, para nos voltarmos mais para nosso interior, revermos nossas escolhas, conceitos, valores, e nos reposicionarmos com mais seriedade diante deste elemento único que nós temos, que é a vida humana”

É refletindo sobre essas oportunidades, sobre nossos valores, sobre a importância que damos as coisas que temos e fazemos, sobre a maneira com que recorremos a Deus, sobre a Igreja doméstica – tão abandonada anteriormente – e sobre a necessidade de estarmos em comunidade, que podemos sim viver uma Semana Santa especialmente reflexiva e intensa.

Mateus Cabrera – Equipe de Redação PASCOM

Fonte: https://noticias.cancaonova.com/igreja/semana-santa-com-confinamento-vivencia-deve-ser-mais-intensa/