Paróquia São Francisco de Assis

Rua Raposo Tavares, 180, Vila Assis - Sorocaba, SP

(15) 3231 3100

Artigos, Editorial › 10/05/2019

AEDES AEGYPTI: A NECESSIDADE DE AGIR É URGENTE

O Ministério da Saúde convoca novamente a população brasileira à mobilização pelo combate ao mosquito transmissor da dengue, zikaechikungunya, doenças que podem gerar outras enfermidades, como microcefalia (má formação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada, podendo ser acompanhada de epilepsia, paralisia cerebral, retardo no desenvolvimento cognitivo, motor e fala, além de problemas de visão e audição) e a Síndrome de Guillain-Barré (doença autoimune inflamatória dos nervos, caracterizada pela fraqueza muscular progressiva, podendo levar a insuficiência respiratória e problemas cardíacos).

É no período do verão que à proliferação do mosquito Aedes aegypti é mais propícia, por conta das chuvas. No entanto, a recomendação é não descuidar nenhum dia do ano e manter todas as ações para eliminar possíveis criadouros do mosquito.

Uma preocupação ronda sobretudo as mulheres no início da gestação. Em outubro de 2015, a partir de 26 casos de microcefalia, notificados em vários estados da região nordeste do Brasil, pode-se estabelecer de forma concreta a relação causal para a ocorrência desses eventos: a infecção pelo zika vírus na gestação. Diante disso, o Ministério da Saúde estabeleceu protocolos específicos para a identificação dos casos, para que as complicações possam ser diminuídas pelo diagnóstico e acompanhamento precoce dos recém-nascidos. Mas não são apenas os bebês que estão sujeitos a transtornos, pessoas com déficit no sistema imunológico, como as que se tratam contra um câncer e os portadores de doenças autoimunes, tendem a enfrentar quadros mais severos.

Países que tiveram surtos de zika recentementetêm relatado aumento dos casos de Síndrome de Guillain-Barré.

Não há remédios que combatam o vírus em si. Logo, os médicos tratam os sintomas e previnem complicações. O mosquito Aedes aegypti é o principal transmissor do vírus e suas larvas nascem e se criam em água parada. Por isso, evitar esses focos da reprodução é a melhor forma de se prevenir contra o zika, dengue e chikungunya. Veja como:

  • Evite acúmulos de água;
  • Coloque areia nos vasos de plantas;
  • Limpe as calhas, aquários e piscinas;
  • Coloque telas nas janelas;
  • Use repelentes e roupas protetoras.

De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, Sorocaba já registrou 426 casos confirmados de dengue. Nenhum zika foi registrado.A secretaria disponibiliza meios para o cidadão denunciar criadouros do mosquito, pelo canal 156, pelo site da prefeitura ou ainda em uma das Casas do Cidadão. Também pelo WhatsApp da Ouvidoria Geral do Município através do número (15) 99129-2426 das 8h às 17h, para que uma equipe competente vá até o local denunciado e tome as devidas providencias.

“TODOS CONTRA O MOSQUITO: O PERIGO É PARA TODOS. O COMBATE TAMBÉM. FAÇA SUA PARTE!”

Dra. Ana Paula Ferraz Franco Marcato, fisioterapeuta e paroquiana na comunidade São Francisco de Assis