Comunidade Nossa Senhora Aparecida

 

 

 Comunidade Nossa Senhora Aparecida

Em 1981, foi iniciada a comunidade, com a doação de um terreno pelo Sr. Arlindo Gonçalves. Enquanto se iniciava as construções neste terreno a comunidade se reunia em uma casinha no bairro do Sabiá que também era utilizada como posto médico. Neste terreno a comunidade deu inicio a construção de um pequeno barracão de madeira, para celebrar as missas, catequese e fazer reuniões. Durante esta construção as telhas eram lavadas com água que empossava atrás da igreja pois ainda não havia água encanada no bairro. As paredes do barracão eram de tábuas ficando desta forma construída por mais de 10 anos, sendo primeiramente construída uma parte de alvenaria, ou seja, o fundo da Igreja e depois com o tempo construído o restante em alvenaria, todos estes com materiais doados pela comunidade.

 

Antes de se ter o barracão de madeira o povo do bairro participava da comunidade São Pedro no bairro Barcelona, muitas vezes correndo perigo de vida pois precisavam atravessar a rodovia Raposo Tavares, cuja iluminação era precária.

Frei Henrique celebrou a primeira missa, ao som de viola sertaneja, a toalha do altar era um lençol, sendo celebrada fora do barracão, pelo grande número de pessoas que ali compareceram. No bairro ainda não tinha energia elétrica por isso se usou um lampião a gás.

Quando o barracão ficou pronto, as reuniões passaram a ser nesse local. Aí também era distribuído um sopão, fornecido pelo governo. O barracão também começou a ser utilizado como escola (prezinho).

Muitos foram os colaboradores para esta comunidade, o Sr. José Novo, Moacir, Grupo de jovens Bom Jesus, Gideão, Olívio, André, pais da Dona Ana, Lucindo, Joaquinzinho, Dona Lola, Sebastião, Márcia, João da Parada e sua filha, Luiz Pena (hoje sacerdote) e tantos outro irmãos que guardamos no coração.

Neste tempo jovens e adultos de outras comunidades principalmente da Bom Jesus e da Comunidade São Pedro traziam alimentos para os necessitados e doces e pipocas para as crianças.