Paróquia São Francisco de Assis

Rua Raposo Tavares, 180, Vila Assis - Sorocaba, SP

(15) 3231 3100

Artigos › 04/03/2019

CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2019 RESSALTA A IMPORTÂNCIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS

A campanha da Fraternidade é realizada anualmente pela Igreja durante o período da Quaresma. Lançada sempre na quarta-feira de Cinzas, a campanha sempre nos propõe uma reflexão acerca de um tema vivido na realidade brasileira, procurando despertar a atenção da Igreja para os problemas enfrentados e a necessidade de transformação.

Coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) a campanha da Fraternidade teve início no ano de 1962, desde então é um importante instrumento de conscientização e amadurecimento da nossa fé. Trazendo a realidade da sociedade para dentro da Igreja, salientando a importância que cada um de nós como cristãos temos de enfrentar os problemas da sociedade em que estamos inseridos. Como comunidade, todos juntos, devemos olhar para nossa realidade, pois nossa fé não está isolada, não vivemos em um mundo a parte, estamos sim, inseridos em um contexto que em muitas vezes possui inúmeras deficiências.

Pensando nisso, a campanha da Fraternidade 2019 apresenta o tema: Fraternidade e Políticas Públicas, com o lema: “Serás Libertado pelo direito e pela Justiça” (Is 1,27). Tal tema relaciona estritamente o termo fraternidade com a cidadania, nos alertando sobre a necessidade de nós com homens e mulheres estarmos inseridos nesta sociedade e fazermos dela uma sociedade mais livre e igual. A busca por melhores políticas públicas se inicia pela busca da fraternidade, uma sociedade não fraterna, que coloca direitos individuais acima dos direitos coletivos, e que não preza pela igualdade, não terá forças para buscar soluções especificas para as necessidades e problemas da sociedade.

Em um contexto pós-eleitoral, aonde vimos as diferenças ideológicas dividirem a busca pelo bem comum, a campanha da fraternidade nos aponta a direção: A busca fraterna por melhores Ações do Estado, que visem tornar nossa pátria mais justa, segura e ordenada. Com isso, especialmente nós católicos, devemos estar atentos para que façamos parte da sociedade que soma, não da sociedade que divide. Que a fraternidade norteie a participação popular e a busca por melhores condições para todos nós.

Mateus Cabrera
PASCOM